quarta-feira, 11 de setembro de 2013

De quantos quilos é preciso para ser feliz?

Por Lorena Abrahão


Só uma mulher acima, quer dizer, bem acima do peso padrão é capaz de entender a intensidade deste questionamento.

Pois é mesmo verdade que há os que acreditam que gorda é sinônimo de inFELICIDADE. E o que é pior, há casos em que é a pura verdade.


Me chamo Lorena, 27 anos e cheguei na casa dos 100kg. Desde sempre tive tendência para engordar. Para uns isto quer dizer que sempre comi muito e nunca fiz atividade física. Disciplinada?! Hum...bem longe das gordinhas.

Por alguns anos, vivi o lado mais fácil da pressão da sociedade, para a sociedade. Fazia dos mais diversos sacrifícios para manter-me... como dizer?! Gostosona. Sim, era isso que eu era. A felicidade na minha vida ainda era relativa. Acho que resumia-se a “ficar” com o carinha que eu queria quando queria. Ir à casa de praia vez em quando. E não sei o que mais.

Só sei que felicidade era muito pouco para o estado de espírito que hoje consolido na minha vida.

Sendo a vida uma caixinha de surpresas, aos 23 anos submeti-me a uma cirurgia de relativa emergência, por ter sido diagnosticada com câncer na tireóide. Não, meu mundo não caiu. Aliás, até acho que caiu, mas não passou nem mesmo de 24 horas. Cirurgia, radioiodoterapia, isolamento, reposição hormonal, mudanças fisiológicas diversas...um turbilhão de coisas.

Onde mais houve um turbilhão de mudanças, foi na ordem de prioridades das coisas, da vida. Aos poucos percebia que a vida tinha um sentido bastante diferente do que imaginava (pouco imaginava) antes.

A retenção de líquido começou a me assustar. Os quilos foram somando-se, somando-se, somando-se. 30kg a mais na balança. Todos notavam. O mais curioso é que aqueles quilos pouco importavam para quem estava descobrindo um novo sentido.

Não virei evangélica, nem autora de auto-ajuda. Mas o segundos, os minutos, as horas...o tempo, a vida tornaram-se tão mais intensos. De uma forma que as mudanças estavam permitindo-me uma segunda chance. Um recomeço de vida a ser vivida com bem mais intensidade.

O “não” passou a ser a palavra menos pronunciada. Comecei a dizer “sim” e este sim não era para quem esperava por uma resposta, era um sim para a vida, para as coisas a serem vividas. O tempo começou a apresentar-se curto demais, pois, muita coisa eu tinha (e tenho) para fazer.

Ta ficando muito dramático o desabafo?! Desculpem-me, não era esta a intenção.

Quis apenas falar para o mundo que ser gordinha, como intitulo-me, é o que menos incomoda-me na vida. E que é muito chato quando perguntam o por quê de não emagrecer! Ainda mais sendo eu o suficiente educada para não devolver com as respostas mais homéricas possíveis.

Se você estiver acima do peso estipulado como ideal e quiser elimina-los: elimine-os, mas faça isso por você e que seja prazeroso. Se não quiser, seja apenas feliz, mas não esqueça que a felicidade é efêmera demais para depender apenas de um item.

É óbvio que ter corpo e mente saudáveis são essenciais para viver com qualidade, mas isso nem todos conseguem. Sabem a gordinha que vos escreve?! Ah, ela consegue ter a alma leve e a auto-estima pesadíssima, de tão pesada transborda de alegria e transborda amor próprio ao ponto de conseguir compartilha-lo com muitos ao seu redor.

Então, vos deixo-lhes com os seguintes questionamentos:

  • É preciso estar magra para estar de bem com a vida?
  • Não estar de bem com a vida 24h/dia, 365d/ano, todos os dias de sua vida é o fim dos tempos?
  • Só as mulheres magras conseguem ter prazer e dar prazer ao fazer sexo? Você ficará sem resposta se for daqueles que acha que gordas não fazem sexo.
  • De quantos quilos você precisou para formar-se na universidade e conseguir um bom emprego?
  • De quantos quilos você precisou para conhecer o amor de sua vida?
  • De quantos quilos você precisa para considerar-se o ser mais incrível do mundo?
  • De quantos quilos a gente precisa para ter um bom convívio familiar?
  • De quantos quilos você precisa para se respeitar e respeitar as pessoas?
  • De quantos quilos a gente precisa para conseguir ter alma e consciência leves?
  • De quantos quilos você precisará para atingir a realização dos seus sonhos?

E por último: De quantos quilos é preciso para ser feliz?!


 *Lorena Abrahão é letrada, assessora sindical e militante da Marcha Mundial das Mulheres desde 2008.

2 comentários:

Cintia Costa disse...

Perfeito, Lorena! Amei o seu post!
Beijocas!

Raiza disse...

Lindo, Loh!